segunda-feira, 19 de maio de 2014

RESENHA: Sob a Égide da Cruz - Elizabeth Pereira


A VITÓRIA DE UM AMOR QUE ATRAVESSOU OS SÉCULOS.

"... Acreditem! Tudo que temos é o hoje. Um presente que abrimos todas as manhãs, contendo tudo de que precisamos para construirmos uma vida inteira, de maneira plena, por etapas, um dia de cada vez. O hoje vivido plenamente, licitamente, não deixa nostalgia e garante o amanhã melhor. O passado não existe mais e o futuro só Deus conhece. Não temos a mais remota ideia de até quando podemos planejar."

Sob a Égide da Cruz é a continuação de amor e luta de Patrick Castle e Eugene, do livro Horizonte Vermelho, que eu já resenhei aqui no blog para vocês (clique aqui)! E que eu, particularmente adorei!

Neste livro, eles e os outros personagens voltam (encarnam) com outros nomes. Terão que começar uma nova vida, passando por lutas, conflitos, amores, alegrias e tristezas. Buscando resgatar dívidas passadas e tentando encontrar e viver seus amores de forma plena.

O livro é dividido em duas partes. Uma no século XVII e a outra contada no século XIX. Mas, achei a história tão bem amarrada, que não dá nenhum nó na cabeça na hora da leitura, rs ^.^

Então, vamos logo conhecer os caminhos percorridos por Eugene e nosso (meu) querido Patrick... 

Vivendo no Brasil do século XVII, junto a escravidão da época, moram em Massapê, Pernambuco. 

Quidinho é um grande senhor de engenho, como muitos da época. Dono de temperamento forte, autoritário e até ruim. Não tinha dó de mandar açoitar seus escravos para conseguir o que queria, ou até de matar para fazer valer uma ordem.

Ele casado com Dalva, tinha cinco filhas, muito diferentes umas das outras: Anunciação, Assunção (Eugene), Socorro, Conceição e Glorinha ; além das meninas, teve 2 filhos com a escrava Esmeralda (seu grande amor proibido) Netinho e Cristóvão.

Juntas, as filhas e filhos do Senhor de Massapê ditam uma história de vida de caminhos paralelos, cheias de contratempos, amores e conflitos. 

Anunciação, meiga e doce com todos, se apaixona por Pedro assim que seus olhos os vêem pela primeira vez. Ele um homem bom, logo se apaixonado por Anunciação e a pede em casamento.

" Os olhos do visitante... fitaram Anunciação de maneira penetrante, e a mocinha se perturbou. Era um jovem forte e belo, 1,80m; tinha olhos verdes como a floresta virgem da colônia, cabelos e bigodes bem feitos, em tom avermelhado, e pele muito alva."

Mas, nem sempre o primeiro amor é realmente nosso verdadeiro amor, e o destino coloca em seu caminho Rutger (holandês), "um forasteiro" quase a beira da morte que se escondeu no porão da casa grande. Anunciação não entendia porque este forasteiro lhe tirava o fôlego.

" Teve ímpeto de tomá-lo no colo e tirar-lhe  todo o sofrimento que o afligia... Queria abraçá-lo e terminar a existência assim... Perguntava-se o que seria isso, essa coisa avassaladora que fazia suas mãos tremerem e os olhos lacrimejarem, esse desejo quase irresistível de aconchegar o estranho ao peito."

Já Assunção, é a filha que todos acham estranha, cheia de "manias" esquisitas, sempre triste, alheia a tudo e depressiva, desejando a todo momento a morte. Mas mesmo com essas esquisitices, é doce 
e atenciosa com a família e os escravos, sempre querendo fazer o bem.

Mas então vê o "Fantasma Inglês" (Patrick), já que tem os dons espirituais aflorados, mesmo não entendendo. Desde o momento que o conhece, eles se tornam amigos, porque Assunção não fica com medo dele e passa a tê-lo como o único amigo querido.

O "Fantasma Inglês", é assim chamado, porque todos acham que ele é um fantasma mesmo (uma alma penada, rs), que aparece a muito tempo para muitos no engenho, apenas para auxiliar (o que nem todos acham isso né). Inglês, por ele ser loiro e de olhos azuis (como nosso apaixonante Patrick... ^.^)

Ele sabe que Assunção é Eugene, mas não pode dizer nada a ela, apenas tenta de todas as formas ajudá-la a superar as aflições, para que então, a cena do passado não se repita (não posso explicar mais, porque se não faço um spoiller do outro livro, rs).


Os outros filhos (as) também tem suas histórias contadas no livro. No geral, os irmãos se amavam, com exceção de Netinho (o filho rejeitado) e Glória (arrogante e prepotente como a mãe), que não correspondiam à afeição dos demais.


No desenrolar dos fatos, chegamos no final do século XIX, onde em solo brasileiro se aprendiam as primeiras lições de igualdade, fraternidade, liberdade e justiça. A terra do Cruzeiro do Sul começava a despertar para a soberania, rumo a independência e à libertação dos escravos, para então se estabelecer a república.

Nesta 2ª parte do livro, que antecede a Lei Áurea, em Minas Gerais - Diamantina, que agora vivem as irmãs Clara e Clarisse (Anunciação e Assunção). Uma com quinze e a outra com quatorze anos, órfãs, moravam com o tio, Frei Daniel.

Clara, amava a literatura, livros e poesia, e passava horas a ler e escrever. Era aventureira e traquina, com comportamentos bipolares as vezes, de tristeza e alegria intensos.

Clarice, era calma. Tinha aptidão para o artesanato e prendas domésticas. Era cheia de ideias, mas sem coragem para executá-las.

Foram criadas dentro da igreja, e eram tidas como as santas meninas do frei, o que não era a opinião do tio que as conhecia muito bem, mas que as amava sem igual.

Naqueles tempos de lutas intensas pelo fim da escravidão, qualquer ajuda era bem vinda. Clara e Clarisse, assim como o tio eram simpatizantes da causa abolicionista, e ajudavam muitos negros "as escondidas". Diante de fatos, tiveram que ir levar uma mensagem a casa do poeta, e então o frei enviou as duas meninas.

Lá moravam André de Castro "o escritor", José Paulo e Leonardo, (ambos abolicionistas nato). Os dois lutavam contra o preconceito, ajudavam negros a fugirem para o Quilombo, pegavam em armas se necessário pela causa, entravam em guerras pela justiça.

As meninas do frei foram recebidas por André, um jovem belo, de pele branca e olhos azuis, que deixou Clara encantada.

Clarisse não gostou muito de André, mas quando se depara com Leonardo, um mulato forte de traços marcantes e olhos pretos como jabuticabas a mirá-la, era como se o conhecesse há anos.

" Seu coração acelerou as batidas, a voz morreu na garganta, o peito oprimido quase doía e Clarice não conseguiu segurar as lágrimas, que escorreram teimosas pelo rosto... Leonardo parecia estatico..."

Clara e o escritor mantinham animada conversa, e a moça não percebeu os olhos penetrantes de José Paulo (Patrick), a fixá-la de maneira afetuosa, quase contemplativa. Em seu pensamento mais íntimo, desejou tomar nos braços a bela rapariga de pele branca e acariciar seus longos cabelos, envolvê-la em seus braços e nunca mais deixá-la afastar-se. 

" Com ela e por ela teria forças para lutar pela abolição e pela república sem temer mal algum."

Teve que voltar seus pensamentos para a "Terra", pois Clarice requisitava sua atenção na conversa que estava tendo com ele e Leonardo. Assim, as vozes fizeram Clara olhar na direção de José Paulo, que até elogiou seus belos olhos verdes, mas não mais que isso. Para Clara seu amor já era de André.

Mas uma vez o destino colocará o amor a prova. Como saber quando o amor verdadeiro está diante de nós. Se não nos libertarmos de sentimentos pequenos e egoistas, não conseguimos vivê-los plenamente. 

Sob a Égide da Cruz é um livro cheio de ensinamentos espíritas. Histórias de amor que precisam prevalecer junto as intempéries da vida. Lutas abolicionistas que buscam justiça e liberdade para um povo, nosso povo, que clama por respeito. 

Um livro emocionante e intenso, onde aprendemos um pouco da história do Brasil da época.

Sob a Égide da Cruz: 
Sob: embaixo, debaixo, ao abrigo de, ...
Égide: Proteção, amparo, defesa, escudo, ...
Cruz: O Cruzeiro do Sul, também chamado de Crux, apesar de ser a menor de todas as constelações, é uma das mais importantes, principalmente para os povos do hemisfério Sul.




Link da Editora: loja.vivaluz.com.br/sob-a-egide-da-cruz


4 comentários:

  1. Romance de época e brasileiro, já gostei, fiquei bastante interessada em ler!

    ResponderExcluir
  2. Menina, você escreve bem pacas :)
    Gostei!!!
    Desse jeito fico até curiosa pra ler esse livro.
    Vou coloca-lo a minha lista de leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Ainda não li, estou terminando Horizonte Vermelho, fascinante e apaixonante!! Super recomendo :)
    Ansiosa de maaaaais para ler Sob a égide da cruz.

    ResponderExcluir
  4. Encantada! Ainda não comecei, mas estou super ansiosa para ler, estou terminando Horizonte Vermelho e estou apaixonada pela história e personagens, super recomendo, é maravilhoso!!
    Beijos :*

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...